• Redação

Metroviários ameaçam ‘greve total’ se TCU aprovar privatização do metrô de BH nesta quarta


Metroviários de Belo Horizonte estão reunidos na porta do Tribunal de Contas do União (TCU), em Brasília, nesta quarta-feira (24), para acompanhar a reunião que pode definir pela aprovação da privatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em Minas Gerais.

Caso o órgão aprove a desestatização, a categoria em Minas promete “greve total” das atividades a partir da 0h desta quinta-feira (25). A posição é dada pelo Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro).


“Não terá escala mínima, não terá nada. A única condição de não ter greve é o TCU adiar o julgamento ou votar contrário à privatização. Do contrário, é greve total”, disse Pablo Henrique, diretor do sindicato.


Os metroviários são contrários à condução do processo de privatização da CBTU no Estado. Segundo eles, a categoria não foi chamada a participar das conversas. Eles também lamentam falta de estabilidade dos empregos.

Privatização


Caso o TCU emita parecer favorável ao projeto de privatização da CBTU, o edital de concessão à iniciativa privada poderá ser publicado.


O projeto de privatização do metrô de BH prevê investimento de R$ 3,8 bilhões para a estrutura atual e para a construção da linha 2, que atenderá à região do Barreiro. O governo federal será o principal responsável pelo aporte, com R$ 2,8 bilhões.


O governo de Minas, com recursos provenientes do acordo firmado com a mineradora Vale pela reparação do rompimento da barragem em Brumadinho, vai arcar com R$ 430 milhões. A quantia restante será de responsabilidade da empresa que vencer o leilão.


Via: Gabriel Rezende redação jornal hoje em dia

0 comentário