• Redação

Belo Horizonte registra aumento de 19% em internações por Covid nas UTI's


Hospitais de Belo Horizonte voltaram a registrar aumento de internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) por pacientes contaminados pela Covid-19. A informação

é do boletim semanal do Comitê Popular de Enfrentamento à Covid-19 divulgado nesta sexta-feira (8).


O documento revela que da semana de 30 de junho a 7 de julho de 2022 o número de ocupação dos leitos de UTI Covid saltou de 63 para 75, um aumento de 19%, maior taxa desde o início do monitoramento ocorrido em março. O número de pacientes ligados à ventilação mecânica também saltou de 34 para 45.


Ainda segundo o boletim, nos últimos dias a taxa de incidência da Covid-19 em BH está em 448 casos por 100 mil habitantes. Já a velocidade atual da pandemia também aumentou em relação à semana passada, e o RT está em 1,8, nível vermelho.


Para o infectologista e integrante do Comitê Popular, Unaí Tupinambás, o aumento da ocupação no sistema de saúde é reflexo do crescimento de diagnósticos positivos de coronavírus na capital.


"A gente tinha a expectativas de que esse número caísse nesta semana, mas fomos surpreendidos pelo aumento dos casos e consequentemente das ocupações. Essa taxa é reflexo de contaminações ocorridas nos últimos 10 dias", conta.


O infectologista explica que as variantes BA.4 e BA.5 do coronavírus também podem estar por trás da nova explosão de diagnósticos positivos que vemos, não só em BH, mas em todo o Brasil.


"Há um indicativo de escape vacinal, considerando que os imunizantes hoje aprovados para uso foram desenvolvidos quando ainda estavam em circulação as primeiras cepas do Sars-Cov-2. Sem contar as pessoas que não completaram o esquema vacinal ou nem mesmo tomaram a primeira dose", pontua.


Unaí Tupinambás ressalta que, diante do aumento de casos, é preciso reforçar a cobertura vacinal. Ele lembra que as vacinas protegem de casos graves, reflexo disso, segundo ele, é a estabilidade na taxa de mortalidade, que está em 14 a cada 1 milhão de habitantes.

"Chegamos hoje com a redução da mortalidade, mas o Brasil ainda tem uma média de morte diária muito grande. Por isso, a gente entende que não é momento de regredir isolamento social, mas, sim, de usar máscara, higienizar as mãos, fazer teste caso tenha sintoma e reforçar a vacinação", alerta.


A reportagem do Hoje em Dia entrou em contato com a Prefeitura de Belo Horizonte sobre o aumento de ocupação de leitos de UTI e aguarda retorno.


Via: Jornal hoje em dia


0 comentário