• jornalismo42

A inflação chegou ao setor de materiais escolares, e há itens até 74% mais caros

Pais e estudantes já enfrentam o aumento dos preços do material escolar em Belo Horizonte. Após dois anos de pandemia, cadernos, por exemplo, chegam a custar 74% mais do que no início de 2020, e completar a lista de compras para este ano letivo demanda ainda mais pesquisa que o habitual.

Levantamento do site Mercado Mineiro pesquisou o preço de 80 itens escolares em dez estabelecimentos da capital e comparou aos valores do início de 2020 - em 2021, devido às restrições de funcionamento do comércio e das escolas, a pesquisa não foi realizada. Com raras exceções, praticamente todos os produtos sofreram inflação e o preço de alguns mais que dobrou em dois anos.

O caderno universitário de espiral com capa dura da Tilibra, com 200 folhas, por exemplo, foi de R$ 13,95 a R$ 24,29, aumento de 74%. O caderno do tipo brochura de 96 folhas genérico, considerando a marca mais barata em cada uma das lojas, aumentou 34,6% e foi de R$ 7,24 a R$ 9,75.

Aumento mais expressivo foi registrado na borracha branca das marcas Maped e Mercur, que ficou 111,5% mais cara e foi de R$ 1,20 para R$ 2,54. A cola branca de 90 g da marca Cascola aumentou cerca de 111,3% e custa R$ 6,23, em média, contra R$ 2,95 em 2020.

Os lápis de cor tiveram aumento menor, mas também subiram de preço. A causa de 24 cores de primeira linha, das marcas Faber Castell, Norma e Maped, por exemplo, aumento 71,5% e sai a R$ 36,24 - em 2020, o preço médio era R$ 21,13. Em compensação, alguns itens se tornaram mais baratos: o lápis preto da Faber Castell, que custava R$ 2,01 há dois anos, agora é encontrado por R$ 1,20, uma redução de 40,3% do preço.

Variação de preço do material escolar exige mais pesquisa de preço

Apenas na amostra de dez papelarias avaliadas pelo Mercado Mineiro, a variação do preço do mesmo produto passa de 100%. O pacote de papel A4 das marcas Chamex, Report e Copimax, por exemplo, pode custar de R$ 4,10 a R$ 8,90, variação de 117%.

A variação fica ainda maior quando são consideradas as marcas mais baratas em cada estabelecimento. O preço do apontador genérico com reservatório, por exemplo, vai de R$ 1,90 a R$ 5,90, variação de 211%.

Com a inflação que, só em 2021, aumentou 10,06%, a pesquisa de preços se tornou um hábito obrigatório e precisará ser repetida na compra de material escolar, defende o administrador do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu. “As diferenças são muito grandes. Os pais devem deixar o comodismo de comprar em apenas uma papelaria porque vai pagar muito mais caro em diversos itens de material escolar. O ideal é que eles escolham duas ou três papelarias e encontrem os melhores preços delas”, recomenda.

A pesquisa completa com o preço médio dos 80 itens avaliados está disponível no site do Mercado Mineiro.




0 comentário